close

  • Servir a Polónia, criar a Europa, perceber o Mundo

     

  • ACTUALIDADES

  • 31 Agosto 2017

    A Segunda Guerra Mundial começou em 1 de setembro de 1939 com o ataque alemão contra a Polónia. A agressão alemã foi agravada em 17 de setembro, quando o exército soviético se juntou à guerra, atacando a Polónia do leste. A guerra defensiva durou até a 6 de outubro de 1939, quando terminaram as batalhas das unidades regulares do exército polaco com os agressores.

    Sem declarar guerra, as forças alemãs começaram, dia 1 de setembro de 1939, às 4h35, uma acção militar contra, a Polónia a bombardear Wieluń, localizado, naquela altura, perto da fronteira com o Reich alemão. Poucos minutos depois, a costa polaca foi atacada pelo navio de guerra Schleswig-Holstein. Este ano, as comemorações que marcam o trágico aniversário começarão com uma cerimónia em Wieluń, contando com a presença do presidente da Polónia, Andrzej Duda.

     

     

     

    O plano do ataque alemão na Polónia previa um blitzkrieg (guerra-relâmpago) com objectivo de quebrar a defesa polaca e, em seguida, cercar e destruir as principais forças do adversário dentro de uma semana. Contudo, a Polónia defendeu-se até ao dia 6 de outubro de 1939. Como afirmou o Prof. Norman Davis: "Resistindo o blitzkrieg durante cinco semanas, completamente sozinhas, as Forças Armadas da Polónia enfrentaram-no de melhor forma do que as forças britânicas e francesas conjuntas em 1940. Os polacos cumpriram o seu dever".

     

     

     

    Pouco depois do início da guerra, em 3 de setembro, o Reino Unido e a França deram à Alemanha um ultimato, a exigir uma cessação imediata das hostilidades e retirada das tropas alemãs da Polónia. Os alemães rejeitaram o ultimato, daí resultando a adesão dos dois estados aliados à guerra contra a Alemanha. No entanto, os exércitos britânico e francês não tomaram nenhuma ação militar contra o Império Alemão. A Polónia teve que sozinha enfrentar a agressão do totalitarismo nazi.

     

     

     

    O marechal Edward Rydz-Śmigły, Chefe do Comando das Forças Armadas da Polónia em setembro de 1939, descreveu a defesa da Polónia da seguinte forma: "A Polónia não podia evitar a guerra, caso contrário acabaria humilhada. Sofreu e continua a sofrer grandes sacrifícios, mas também deu origem à guerra de libertação da supremacia alemã".

     

     

     

    A capitulação da Polónia teve lugar em 6 de outubro de 1939, quando, após a Batalha de Kock, terminaram as batalhas das unidades regulares do exército polaco com os agressores. Em consequência dos ataques de Setembro, e para evitar o cativeiro, as autoridades da República da Polónia foram forçadas a transferir a sua sede para fora do país. O dia de 27 de setembro de 1939 marcou a criação do Estado Secreto Polaco nos territórios ocupados pelos alemães e soviéticos.

     

     

     

    A Segunda Guerra Mundial foi o maior conflito armado na história. Abrangeu três continentes e causou a perda de dezenas de milhões de vidas. A Segunda Guerra Mundial  causou a morte de quase 6 milhões de cidadãos polacos, principalmente civis. Entre os países europeus, a Polónia sofreu as maiores perdas humanas em comparação com a população total anterior à guerra. A luta no solo polaco continuou até ao final da guerra em 1945. Ao longo da ocupação, o governo da República da Polónia no exílio recusou-se a assinar o ato de capitulação e as forças de resistência secretas no país, bem como as Forças Armadas da Polónia noutras frentes lutaram pela liberdade da sua pátria.

    Print Print Share: